Notícias

Sessão pública de apresentação terá lugar na Biblioteca Municipal de Estarreja          

O Partido Socialista promove uma sessão pública de apresentação da candidatura de Catarina Rodrigues à presidência da Câmara Municipal de Estarreja, com a participação de Pedro Nuno Santos, Presidente da Federação de Aveiro do PS.

A sessão decorre amanhã, dia 28 de Abril, pelas 19h30 na Biblioteca Municipal de Estarreja.

A iniciativa conta ainda com a participação de Odete Isabel, histórica autarca do Partido Socialista, que assumiu as funções de Presidente da Câmara da Mealhada, nos primeiros mandatos autárquicos no pós-25 de Abril.

 

Acto terá lugar na sede do PSD de Estarreja                                    

Está marcado para as 19h00 de hoje a assinatura do acordo de coligação entre o PSD e o PP com vista às próximas eleições autárquicas.

Assim, as duas forças políticas concorrem mais uma vez em coligação em listas para órgãos municipais e juntas de freguesias. 

Relembre-se que PSD e PP lideram a Câmara de Estarreja, em acordo pré-eleitoral, há quatro mandatos.

José Eduardo Matos assumiu a presidência do Município no decurso dos três primeiros mandatos, cabendo posteriormente a Diamantino Sabina a liderança da autarquia local.

 

Primeiras eleições democráticas para o poder local realizaram-se a 12 de Dezembro de 1976    

O Município de Estarreja assinala amanhã o 43º Aniversário do 25 de Abril com uma Sessão Solene da Assembleia Municipal, onde serão distinguidos 12 autarcas eleitos desde 1976, ano em que se realizaram as primeiras eleições livres em Portugal.

A Sessão Extraordinária da A.M.E., liderada por Gonçalo Sarmento Costa, irá realizar-se pelas 18h00, no Salão Nobre do Edifício dos Paços do Concelho, tendo como ponto único na ordem de trabalhos a Comemoração do 43º Aniversário da Revolução de Abril.

Serão distinguidos os Presidentes da Assembleia Municipal e da Câmara Municipal de Estarreja, eleitos desde 1976 e ao longo de 10 actos eleitorais até 2009. 

Recorde-se que as primeiras eleições democráticas para o poder local realizaram-se a 12 de Dezembro de 1976, o dia em que estarrejenses puderam escolher, pela primeira vez em liberdade, os representantes para as autarquias. 

Nesse ato eleitoral, foram eleitos Pinto da Silva, primeiro Presidente da Assembleia Municipal, e Maria de Lurdes Breu, primeira Presidente da Câmara Municipal de Estarreja, na era pós 25 de Abril.

Na presidência da Câmara Municipal de Estarreja, sucederam-se Vladimiro Silva e José Eduardo de Matos. 

A liderar a Mesa da Assembleia Municipal, estiveram Augusto Ferreira, Joaquim Marques, Casimiro Tavares, Carlos Tavares, Manuel Vaz da Silva, Alcides Sá Esteves e Marco Braga.

 

Documentos respectivos foram aprovados por maioria, sem votos contra, pelo Executivo Camarário  

Segundo a informação veiculada pela Câmara de Estarreja no seu site oficial, as contas da autarquia relativas “a 2016 evidenciam a saúde financeira do Município aliada ao reforço de investimento, ao aumento de apoio às famílias (pela redução de impostos ou pela implementação de medidas inovadoras) e de transferências para Juntas de Freguesia e Coletividades”. 

Ainda segundo a mesma fonte, “em 2016, a Câmara Municipal de Estarreja voltou a aumentar as taxas de execução da Receita e Despesa, tendo como bandeira as regras do equilíbrio orçamental, na linha do que já vem sucedendo nos anos anteriores”.

Também “a componente de investimento regista um novo incremento, aumentando 27% relativamente a 2015. Já a poupança corrente ronda os 3,8 milhões de euros. Estes são apenas alguns dos principais indicadores das Contas de 2016 da Câmara Municipal de Estarreja”.

Os documentos de prestação de contas foram aprovados por maioria, sem votos contra, pelo Executivo Camarário.

O Presidente da Câmara Municipal de Estarreja, Diamantino Sabina, destacou ainda outros indícios de “rigor e da gestão responsável que tem sido apanágio do atual Executivo. Baixámos a nossa dependência financeira relativamente ao Estado Central, ultrapassámos os 80% na execução geral dos nossos eixos estratégicos, baixámos as despesas correntes, obtivemos um resultado líquido positivo muito superior ao do ano passado face às receitas de capital que atingiram 170%, baixámos de novo a nossa dívida de médio longo prazo, pagamos a fornecedores no prazo médio de 13 dias, entre outros indicadores muitíssimo relevantes. Uma situação financeira exemplar, sem deixar de investir, reformular, regenerar, apoiar e subsidiar também exemplarmente”

No respeitante à receita, a autarquia sublinha o resultado de receita de capital onde se destacam os altos níveis de venda de terrenos do Eco Parque Empresarial, com uma taxa de 179% e um valor absoluto de 2,2 milhões de euros, o valor mais alto de sempre na venda de terrenos. Acrescenta a informação da CME que este resultado “abriu as portas para mais investimento privado e para a criação de postos de trabalho”.  

“Era preciso semear para colher e foi o que fizemos em 2014 e 2015. A sementeira foi bem-feita e a colheita foi profícua: 5 novas empresas a instalarem-se ou em fase de instalação no Eco Parque Empresarial, num investimento total superior a 100 milhões de euros e na criação de mais de 500 postos de trabalho diretos”, especifica o Vice-presidente da Câmara Municipal e responsável pelo Pelouro das Finanças, Adolfo Vidal.  

Os documentos de prestação de Contas de 2016 serão submetidos a votação na sessão ordinária da Assembleia Municipal, a realizar no próximo dia 27 de Abril, quinta-feira, às 20H30, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

 

Pág. 1 de 27