Notícias

Reabilitação do Mercado Municipal de Estarreja avança a bom ritmo

By Publicado fevereiro 24, 2017

Empreitada teve início em Outubro de 2016 e tem um prazo de execução de 12 meses          

Segundo informação veiculada no seu site oficial, a Câmara de Estarreja dá conta do bom ritmo das obras de reabilitação do Mercado Municipal de Estarreja.

A propósito da visita efectuada na passada sexta-feira ao local, Diamantino Sabina, presidente da autarquia, refere que “é muito satisfatório virmos ao local e começar a ver a configuração do que vai ser o novo mercado e feira. Hoje já se vê o futuro que nos espera e nos próximos meses vamos ver, ainda mais, o que será um novo espaço, aprazível, uma nova centralidade e mais uma extensão do centro da cidade de Estarreja”

Adianta ainda que, “uma nova praceta, o tribunal com outro enquadramento, a área mais embelezada e a feira num patamar único”, são alguns dos aspetos gerais a destacar quando olha para o futuro desta zona. 

“Antevejo um movimento que nunca teve e que, pela realidade do mercado e feira, só existia dois dias por semana. A intenção é que a zona do Mercado tenha uma utilização diária. Com esta nova faceta, este será um mercado mais vivo que permitirá outras utilizações”, sublinha.

A área de intervenção é, neste momento, um autêntico estaleiro, mas na zona superior destinado ao Mercado já se descortinam os espaços onde funcionarão os frescos, a carne e o peixe, ou as novas funcionalidades como o restaurante, a churrascaria, café/bar e esplanada. 

A criação de uma praceta e a demolição do corpo a sul irão tornar o Mercado mais convidativo, abrindo-o à cidade e ao usufruto público.

Já a zona da feira (espaço descoberto) será totalmente remodelada e contempla cerca de uma centena de lugares, garantindo a permanência dos actuais comerciantes. Para além das melhores condições para feirantes, está a ser criada uma zona aprazível para captar mais visitantes e utentes. 

Uma vertente que fará a diferença neste projeto será a implementação de áreas verdes e ajardinadas. A área verde total terá um aumento considerável de 56%, de 1900 m2 para 2970 m2, e serão plantadas 70 novas árvores e transplantadas 10. Foi necessário abater sete árvores devido ao seu débil estado fitossanitário e 5 palmeiras, que estavam a causar estragos nas infraestruturas de águas e esgotos.

Na área envolvente ao Tribunal Judicial também se opera uma reformulação com aumento de lugares do parque de estacionamento e melhor ordenamento. 

Outra das componentes da empreitada foi a realização das obras de beneficiação da Avenida 25 de Abril, com o objetivo de reforçar a capacidade da rede de drenagem de águas pluviais do arruamento e dos edifícios contíguos. Efetuada em tempo recorde, antecipando o prazo de 4 meses de execução da obra, a via foi reaberta em janeiro, minimizando o impacto que, naturalmente, este tipo de operações implica para moradores e utentes.